Posted in Arte Visual

Como o pensamento artístico pode melhorar sua inteligência visual

Como o pensamento artístico pode melhorar sua inteligência visual Posted on Janeiro 3, 20181 Comment

Um estudo recente da Universidade da Pensilvânia mostra como os princípios do campo das artes visuais podem ser aplicados com sucesso no treinamento médico para aumentar as habilidades observacionais e descritivas.

Publicidade

O estudo apontou que a educação artística oferece muito treinamento formal em alfabetização visual – a capacidade de interpretar e encontrar significado nas imagens. Com isso em mente, pesquisadores da Universidade da Pensilvânia e do Children’s Hospital of Philadelphia colaboraram com educadores no Museu de Arte da Filadélfia para ver o que acontece quando os estudantes de medicina passam por um treinamento semelhante ao dos estudantes de arte.

Publicidade

Os especialistas distribuíram aleatoriamente 36 estudantes de medicina de primeiro ano a um grupo de treinamento artístico e a um grupo de controle. O grupo de treinamento artístico recebeu seis sessões de observação artística de 1,5 horas no Museu de Arte da Filadélfia. Os facilitadores usaram a abordagem “Pensamento Artístico”, que se concentra na introspecção e observação antes da interpretação.

Os resultados foram impressionantes. As habilidades observacionais, medido pelo teste de descrição, melhoraram significativamente no grupo de treinamento artístico – os alunos melhoraram suas habilidades de observação clínica, avaliadas por fotografias retinais e fotografias de sinais externos de doença ocular.

Um estudante que participou do estudo disse:

Depois de apenas uma sessão, encontrei-me ouvindo um radiologista para discutir os mesmos princípios que usamos para analisar a arte ao analisar uma tomografia computadorizada. Mais tarde, descobrimos que nossa prática de criação de narrativas na aula de arte ajudou a me guiar ao interagir com pacientes padronizados “.

Os pesquisadores chegaram a conclusão de que o treinamento artístico, por si só, pode ajudar a ensinar os estudantes de medicina a tornarem-se melhores observadores clínicos. Outro aspecto muito positivo da descoberta é que o curso Artful Thinking é uma intervenção fácil de implementar e de baixo custo.

Publicidade

A estrutura do Thinking Artful foi desenvolvida por Harvard Project Zero e as Escolas Públicas da Traverse City, Michigan. Baseia- se em seis “disposições de pensamento” ou “paletas”. Comparando e conectando, explorando pontos de vista, Encontrando Complexidade, Observando e descrevendo, questionando e investigando o raciocínio.

Cada disposição de pensamento tem várias rotinas de pensamento – mini-estratégias curtas e fáceis de aprender que ampliam e aprofundam o pensamento dos estudantes. Por exemplo, na disposição de Observação e descrição, os alunos são encorajados a olhar uma imagem silenciosamente durante pelo menos 20 segundos, fazer uma lista de 10 palavras ou frases sobre qualquer aspecto da imagem e, em seguida, repetir a atividade novamente para encontrar mais 10 palavras ou frases . Esta rotina ajuda os alunos a diminuir a velocidade e a fazer observações cuidadas e detalhadas, encorajando-os a avançar além das primeiras impressões e características óbvias.

Palavras dos organizadores da pesquisa:

“É incrivelmente encorajador ver esses princípios de um campo, como a arte, que pode parecer tão vastamente diferente da medicina, pode ser aplicada e utilizada com sucesso para ajudar a melhorar habilidades clínicas e desenvolvimento profissional geral para estudantes de medicina.Estamos ansiosos para continuar a ver como esses princípios podem ser usados ​​a longo prazo para formandos médicos e médicos praticantes “.

“A arte deve antes de tudo e em primeiro lugar embelezar a vida, portanto fazer com que nós próprios nos tornemos suportáveis e, se possível, agradáveis uns aos outros.”

Friedrich Nietzsche

Gostou? Então compartilhe!!

Por: O Martelo de Nietzsche

Comments

comments

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *