Por que os Monges Budistas São Carecas?

Por que os Monges Budistas São Carecas?

Dezembro 27, 2017 0 Por admin

“Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo”Buda

O Budismo é uma filosofia de vida baseada nos ensinamentos filosóficos deixados por Sidarta Gautama,(mais conhecido como Buda), que viveu por volta de 563 e 483 a.C. no Nepal. Essa filosofia de vida é difundida no mundo todo e encarada por alguns como religião, embora Buda não seja considerado nenhum tipo de Deus e seus ensinamentos não envolvem alegações metafísicas, respaldadas em misticismos populares.

O budismo responde questões importantes em nossa vida,  de maneira muito objetiva e eficaz, como nenhuma outra filosofia prática: Por que existe sofrimento? Como encontrar a felicidade? Para responder essas e outras indagações, Buda não recorreu a nenhum Deus, nenhuma liturgia, nenhum livro sagrado. A resposta foi encontrada na própria vida.

Por isso, o budismo é muito original. Um estilo de vida não-sectário, que pode ser seguido por qualquer um, mesmo que seja praticante de uma religião. O principal ensinamento do budismo está concentrado no que é comumente chamado de As Quatro Nobres Verdades.

A filosofia budista tem muito a nos ensinar, por isso constantemente estamos trazendo textos e reflexões  aqui em nosso site e em nossa página.

Afinal, você sabe por que os monges budistas são carecas?

Em primeiro lugar, podemos dizer que é por conta do significado social que o cabelo possui na Índia, os monges budistas raspam a cabeça, seguindo os passos do seu primeiro mestre.

Sidarta Gautama renunciou ao título de príncipe para procurar respostas aos diversos questionamentos que perpassavam em sua mente, isto é, ele visava seguir o caminho da iluminação, ter os cabelos compridos era um dos símbolos da realeza. Dessa forma, o ato de cortá-los demonstrou sua grande determinação em dedicar-se à busca pelo fim do sofrimento.

Conforme os ensinamentos budistas eram transmitidos para gerações futuras, por meio dos monges e monjas, o costume de raspar o cabelo como símbolo de renúncia e do objetivo de alcançar a felicidade ganhou mais aceitação. Não é um dever, é um costume.

Em suma, essa é uma forma de deixar o apego à vaidade e a preocupação com a aparência de lado. Além, é claro, de demonstrar que não pertencem a nenhuma classe social dominante.

Desapego total.

Para terminar, mais uma reflexão filosófica budista:

“Pratiquem a bondade, não criem sofrimento, dirijam a própria mente, a paz vem de dentro de você mesmo, Não a procure à sua volta, esta é a essência do Budismo

Gostou? Então compartilhe

Por: O Martelo de Nietzsche