Quem é o nosso real inimigo?

junho 26, 2019 Off Por O Martelo de Nietzsche

É com essa pergunta retórica que começo essa reflexão com vocês: quem é o nosso real inimigo? Em primeiro lugar, posso dizer que sou eu mesmo, isto é, meus medos, minha ignorância, meu apego exagerado às coisas supérfluas, minhas indecisões, minha visão pequena, meu egoísmo, minha necessidade de viver de aparências puramente fingidas, meu olhar preconceituoso a tudo que é diferente do que eu penso, meu ódio motivado, minha miserabilidade de espírito, meu desamor, meus julgamentos precipitados, enfim, esses são realmente os meus inimigos, em uma só expressão: eu mesmo. 
Vencer todas essas debilidades é a minha difícil e importante tarefa nesta vida passageira.
Sim, meus amigos, é preciso superar a si próprio, Nietzsche nos chamou atenção em relação a isso diversas vezes, com aforismas que se tornaram atemporais como:

O homem é algo que precisa ser superado, a modernidade o tornou doente.” – O Anticristo.

“Aquilo que não me mata me fortalece” – Crepúsculo dos ídolos

“Torna-te aquilo que tu és” – A Gaia Ciência.

“Quem luta com monstros deve velar por que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro. E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti.

Assim Falou Zaratustra

Voe para além da mediocridade moderna, da arrogância de achar que é a coroa da criação, olhe para dentro de você: supere o jeito pequenino e infantil de ver o mundo , descarte aquelas velhas ideias protocoladas de bem e mal, conceitos que só levam ao lugar comum e pobre chamado preconceito, pense além!

É necessário superar a forma vil de achar que só você ou somente a comunidade em que pertence, possuem a verdade. 
Se a verdade existe, ela é plural, porque a vida é plural. É preciso superar tudo o que promove a inferioridade de espírito, sim, supere-se, supere esse último homem chamado de pós-moderno, esse homem das ideias egoístas, esse macaco orgulhoso. Supere tudo isso e seja um espírito livre. Seja mais do que mais um, faça mais que existir e viva o belo da vida ! 
Como fazer isso? Simples: busque, mova-se e encontrarás seu próprio caminho!

Para finalizar, deixo uma breve citação de Carl Jung

Mas o que acontecerá, se descubro, porventura, que o menor, o mais admirável de todos, o mais pobre dos mendigos, o mais insolente dos meus caluniadores, o meu inimigo, reside dentro de mim, sou eu mesmo, e precisa da esmola da minha bondade, e que eu mesmo sou o inimigo que é necessário amar?

Por: Wanderson Dutch