Cartão para quem não tem comprovante de renda

novembro 6, 2019 Off Por O Martelo de Nietzsche

Hoje nós separamos mais dicais especiais para você que pretende fazer o seu cartão de crédito. É importante dizer que nós não aprovamos nenhum cartão de crédito, o que fazemos aqui é apenas informação.

Confira logo abaixo as principais dicas para você fazer o seu cartão

1. Entenda que toda dívida é um compromisso que você terá que pagar

Não adianta fugir, em algum momento você vai ter que pagar a dívida, já que ela não vai simplesmente sumir. Ter claro que o dinheiro que você está gastando na compra sairá do seu bolso em algum momento é um começo para repensar se essa é uma compra realmente necessária.

2. Evite abusar: um cartão de crédito é suficiente

Não adianta ter vários cartões de crédito se você só tem um salário! Além de atrapalhar sua organização, não há nenhuma vantagem em ter mais de um cartão de crédito: é apenas um número maior de taxas de juros que você vai pagar. Você até pode conseguir fazer mais compras, no entanto, terá que pagar por todas elas, no final.

3. Não adianta ter um limite maior do que você pode pagar

Aumentar o limite do cartão de crédito pode dar uma falsa impressão de que você pode gastar mais. Afinal, o limite do cartão aumenta e o seu salário continua o mesmo! Ou seja, as chances de você gastar mais do que pode pagar são muito maiores.

Que tal baixar o limite do seu cartão? Saiba mais a seguir

4. Sempre pague a fatura total

Pagar a fatura total – ou o máximo que você conseguir – é sempre a melhor opção no cartão de crédito! Livra você da dívida de uma vez só e evita os juros do mês seguinte. Já o pagamento mínimo significa que, no próximo mês, você terá o valor que sobrou dessa fatura, os novos gastos do cartão e os juros do valor que você não pagou. E, com as novas regras do rotativo, você não pode fazer o pagamento mínimo em duas faturas seguidas; caso você o faça em uma, na próxima, você terá que pagar o valor total, ou o banco fará o parcelamento de forma automática, o que implica em mais juros.