Santa Sé, a Igreja que virará “museu de memórias”.

Tradicionalmente, por defender padrões sociais e de vida, a Igreja Católica Apostólica Romana vem perdendo sua credibilidade e seus fiéis, além da queda da popularidade do Papa Francisco. Nesse sentido, é importante ressaltar que a luta contra os males da Igreja tem sido a proposta papal, o que por sua vez, torna-se a quebra de tabus da instituição e expõe a justiça coerciva. A visita do santo padre a países islâmicos é, de fato, um ato progressista, pois visa a propagação da paz mundial entre as religiões. Se assim não o fosse, em breve, o ódio de ultra-conservadores da Igreja tornaria contínuo e inviável a relação com outras fés.

É importante ressaltar que o ser humano saudável tem, obviamente, suas necessidades sexuais, ou seja, pondo em cheque que um clérigo tem a necessidade de ser sexualmente ativo como qualquer homem. No entanto, casos de denúncias em quebra de celibato são comuns, além é claro, da denúncia de práticas homo-afetivas ou de pederastia realizadas por clérigos. Nesse intuito, o de que haja um concílio para a permissão de clérigos casarem-se, e também para que haja a comunhão de LGBTQIA+, tornou-se uma barreira quase intransponível aos dogmas da Igreja, mas, se essa barreira não for atravessada, então a fé perderá o sentido para os fiéis.

Como se é notório, a quebra do poder da Igreja ocorreu com a revolução gloriosa na Inglaterra por Henrique VIII, enquanto a popularização da caída da Igreja enquanto dominadora do povo pelo Estado monárquico de 1789 na França pela revolução francesa que pregava os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Portanto, na atualidade, o que mantém a Igreja de pé é seu carisma entre seus fiéis que respeitam a tradição.

Nesse sentido, a fala do papado franciscano é profética, pois a Igreja ou acata a comunhão de LGBTQIA+ e permite o casamento de clérigos, ou esta tornará um museu de outras ideologias, como já ocorre em alguns países europeus.

A Igreja Anglicana já permite ocorrências como das citadas acima, pois interpreta na bíblia que não houve fala direta de Jesus Crista a tal respeito nos seus evangelhos, mas sim, uma distorção por parte do apóstolo Paulo que por suas vez nunca conviveu pessoalmente com o Cristo. Paulo quando foi Saulo era um dos doutores da Lei Judaica que tinha por regra o combate aos cristãos seguindo as Leis de Moisés no livro da Lei, o Levítico. É importante ressaltar que a lei mosaica é alterável a depender do profeta. Nesse viés, a cidade capital dos judeus no oriente médio é chamada de Telavive, esta, é conhecida como a cidade que mais abriga LGBTQIA+ no oriente médio, contendo 40% da sua população sendo pertencente dessa classe.

Por fim, conclui-se que, o atraso da Igreja Católica Apostólica Romana está atrasada em certos conceitos de dogmas, mas que em breve se atualizará, assim esperam os seus fiéis.

 

Deixe uma Resposta