O Martelo de Nietzsche

O Martelo de Nietzsche

Nietzsche apresentou-me a vida na sua concretude. Destruiu os meus valores, deixou-me nu, cego e sem muletas. Cortou as minhas asas, depois empurrou-me do topo da montanha dos meus falsos desejos e disse para eu me transvalorar. Minha vida nunca mais foi a mesma.
Foi um impacto!
Contudo, em forma de agradecimento por ter potencializado a minha visão em relação a esse mundo de aparências, eu resolvi criar a página e compartilhar ideias interessantes, não somente de Nietzsche, como, também, de outros filósofos importantes que passaram nessa terra. Assim surgiu a página em 2 de Março de 2015.
Ler Nietzsche é querer ser confrontado, algumas pessoas não conseguem ou não aceitam o desafio que ele propõe. A maioria precisa de venenos para viver na sociedade. E é sobre esses venenos que nós falamos aqui: Deus cristão, amor romântico idealista utópico, o falso moralismo em demasia na sociedade brasileira, valores, etc…
Enfim, ideais. E claro, muitas reflexões sobre diversos assuntos do nosso dia a dia com uma abordagem mais nobre.
Nossas crenças e valores.
Não é possível falar aqui em nós, no aspecto de crença. A página foi criada de acordo com as leituras de seu idealizador, a partir de uma visão existencialista do mundo. Contudo, há espaço para debates e reflexões sobre outros temas recorrentes. Os nossos colaboradores não são obrigados a seguirem a mesma visão do administrador, o que eles não podem é apresentar uma postura contrária a página. Mas, podem expressar livremente sua opinião.

Por que o nome “O Martelo de Nietzsche?”

Por vários motivos, um deles é a simbologia de destruição de valores doentios que a humanidade insiste em querer que prevaleça. Quem lê Nietzsche, sabe muito bem como é impressionante a força do seu pensamento.

Qual a visão de vocês sobre a política:

Não temos partido, não defendemos nenhum político. Sobre o sistema político brasileiro, temos uma visão niilista. Não acreditamos em melhorias nesse cenário.
Vocês são em quantos?
Vários e um ao mesmo tempo.
Querem mudar o mundo?
Não.
O que vocês querem então?
Que você siga o seu caminho.
Nós estamos aqui para trocar ideias de maneira amigável.
Cada um deve encontrar o seu próprio caminho. Não existe O caminho.
Por: Wanderson Dutch